Atuação da Enfermagem na Demência Vascular







A demência vascular é mais comum no sexo masculino, com a faixa etária igual ou superior a 85 anos.

Normalmente, a doença é o resultado de lesões originadas quando um coágulo impede a passagem de sangue no cérebro.

O indivíduo que sofre de demência vascular apresenta perda de memória, incluindo a dificuldade em executar tarefas simples do dia a dia como comer, por exemplo. Além disso, também existem alterações comportamentais, tais como irritabilidade, insônia e agressividade.

Trata-se de uma enfermidade bastante semelhante ao Alzheimer, mas enquanto no caso do Alzheimer ainda não foi detectada a causa que leva a morte dos neurônios, na demência vascular sabe-se que ela se manifesta quando há pequenos infartos cerebrais.

De modo geral, todos os idosos requerem cuidados, mas a atenção deve ser redobrada àqueles que sofrem de demência vascular.

A seguir, confira as principais dicas de como cuidar de um paciente que sofre da doença. Estes cuidados não só beneficiarão o idoso, mas também auxiliarão no convívio do paciente como um todo:

1. Simplifique a comunicação

Um paciente que sofre de demência vascular terá dificuldades para se lembrar do nome de pessoas, objetos e terá uma baixa compreensão daquilo que lhe é dito. Por isso, a comunicação verbal deverá ser por meio de frases simples e curtas, para que ele possa compreender aquilo que foi dito.

Se o idoso não entendeu, repita a frase ou faça uso de expressões que tenham o mesmo sentido. É fundamental que se mantenha o tom de voz calmo.

2. Determine rotinas

Na medida em que a demência vascular evolui, o paciente torna-se mais inseguro. Sendo assim, alterações de ambiente ou em suas atividades do dia a dia podem causar confusão mental.

Sendo assim, crie rotinas, de forma que as tarefas (alimentação e higiene pessoal, por exemplo) sejam executadas sempre na mesma hora. No caso das roupas, é importante abrir mão de algumas peças mais complexas, como as blusas e calças com zíper ou botões e até mesmo cintos, por conta das fivelas.

3. Trabalhe a segurança do paciente

Por conta da redução auditiva e visual do paciente idoso, é preciso tomar certos cuidados para evitar o risco de quedas e incentivar a sua segurança.
Algumas medidas que podem ser tomadas são: A remoção de tapetes e excesso de mobílias na casa, a instalação de pisos antiderrapantes e barras de segurança em locais como o banheiro, e a remoção de objetos que representem perigo.

4. Trabalhe a independência do paciente

Um erro muito comum dos familiares de pacientes que sofrem de demência vascular é realizar suas tarefas em seu lugar. Apesar de o envelhecimento trazer limitações ao indivíduo, é primordial trabalhar a independência e autonomia do paciente.

Por isso, incentive-o a realizar sozinho as tarefas que estejam em sua rotina. Ao perceber que ele teve alguma dificuldade, o oriente. E se ele não conseguiu executá-la, aí sim o auxilie de forma mais direta.

Com o envelhecimento, naturalmente o corpo humano pode ficar mais suscetível a limitações, tanto para atividades físicas, quanto para ações que requerem o uso da memória e funções cognitivas no geral. Por conta do aumento na população de idosos, profissionais da Enfermagem precisam buscar constantemente a adequação a esse grupo de pacientes. Esse aprimoramento é importante para resultar na diminuição de fatores de risco à saúde do idoso hospitalizado, como delirium (quadro de alteração na consciência), desnutrição e queda.



Dicas para profissionais
  • Drives Virtuais de Enfermagem
  • Apostila de Provas de Concurso para Enfermagem (Enfermeiro)
  • Curso Atendimento Pré Hospitalar de Excelência

  • Comente:

    Nenhum comentário