Guia: Enfermagem no atendimento imediato de Queimaduras






A importância de uma boa condução pré-hospitalar é discutida em estudos sobre o trauma térmico, e no atendimento inicial os profissionais de saúde devem ter uma base considerável de conhecimento, pensamento crítico, além de usufruírem de habilidades técnicas para fornecer um atendimento de excelência, mesmo em condições adversa. 

Se disponível imediatamente e em quantidade suficiente, a água corrente fria e limpa deve ser utilizada sobre a queimadura o mais rápido possível e por 20 minutos durante os primeiros socorros a queimaduras, conforme recomendado por muitas das principais organizações mundiais de profissionais envolvidos no atendimento de emergências de queimaduras. Infelizmente, este período de 20 minutos é raramente atingido, considerando o desejo do paciente/socorrista por maior intervenção clínica associado à preocupação com infecção e hipotermia.

As queimaduras geralmente são causadas pelo contato direto com objetos quentes superaquecidos ou incandescentes, mas podem também ser provocadas por substâncias químicas como ácidos, soda cáustica e outros. Emanações radioativas como as radiações infravermelhas e ultravioletas ou mesmo a eletricidade são outros fatores desencadeantes das queimaduras. 

Tipos de lesão

As queimaduras são classificadas de acordo com a profundidade em: queimaduras de primeiro grau, de segundo grau, de terceiro grau e de quarto grau.

As queimaduras de primeiro grau atingem somente a epiderme e são caracterizadas por serem vermelhas e dolorosas; são também chamadas de queimaduras superficiais. As queimaduras de segundo grau, também denominadas de queimaduras de espessura parcial, são aquelas que envolvem epiderme e porções variadas de derme subjacente; estas queimaduras observadas como bolhas ou áreas desnudas, com aparência brilhante ou base úmida. As queimaduras de terceiro grau podem apresentar diversas aparências. Com maior frequência, estes ferimentos são espessos, secos, esbranquiçados, com aparência semelhante a couro, independentemente da raça ou da cor da pele do indivíduo. As queimaduras de quarto grau são aquelas que acometem não somente todas as camadas da pele, mas também tecido adiposo subjacente, os músculos, os ossos ou os órgãos internos.

As condutas iniciais do enfermeiro ao paciente queimado é retirada da roupa, escovação da pele no caso de queimaduras por pó químico, lavagem abundante da área lesionada e tratar lesões associadas.

Queimadura química

As condutas nas queimaduras químicas são as seguintes: identificar o agente causador da queimadura-ácido, base ou composto orgânico; remover as roupas e retire o excesso do agente causador; remover o excesso previamente com escova ou panos em casos de queimaduras por substância em pó; diluir a substância em água corrente por no mínimo 30 minutos e irrigar exaustivamente os olhos no caso de queimaduras oculares.

Em queimaduras químicas, o uso de agentes neutralizantes é evitado. De modo geral, o processo de neutralização do agente leva à formação de calor, devido à ocorrência de uma reação exotérmica. Portanto, o socorrista bem-intencionado pode criar uma queimadura térmica, além da química. Muitas soluções de descontaminação comercializadas são feitas para uso em equipamentos, não pessoas.

Atendimento no Hospital

Na primeira fase, são verificadas as vias aéreas e coluna vertebral, respiração e ventilação, circulação com controle de hemorragia, exame neurológico e, por fim, deve-se despir totalmente o paciente, mantendo-se a temperatura. Nota-se que alguns autores ao explanar sobre atendimento pré-hospitalar, preocupam-se com as condutas de estabilização do paciente, às vezes esquecendo da importância da abordagem inicial ao local ferido.

Entre os cuidados de enfermagem prestados durante a fase emergencial, podemos citar: controle dos sinais vitais; elevação das extremidades queimadas a fim de reduzir o edema; inserção de cateteres venosos de grosso calibre; sondagem vesical; monitoração do balanço hídrico com anotação do débito urinário a cada hora; avaliação da temperatura corporal, peso corporal, peso pré-queimadura e a história de alergias, imunização contra o tétano, problemas clínicos e cirúrgicos pregressos, doenças atuais e uso de medicamentos; realização do exame físico completo; sondagem nasogástrica; higiene dos pacientes queimados; elaboração do histórico completo do paciente, descrevendo o mecanismo de queimadura, como ocorreu, horário, etc. Esse trabalho também ressalta as condutas iniciais ao queimado, sem nada a acrescentar na abordagem inicial ao paciente queimado.

Mesmo após o atendimento inicial, no qual o paciente começa a receber o tratamento adequado, a equipe de enfermagem deve estar em alerta para sinais de hipoxemia, taquicardia, sudorese e cianose. Ao controlar as respostas respiratórias e a dor, o enfermeiro deve estar atento aos sinais de choque hipovolêmico, e intervir de forma imediata com reposição de líquidos e eletrólitos, conforme indicação terapêutica adotada pelo médico.

As queimaduras mais frequentes são as decorrentes de choque elétrico escaldamentos (como água fervente). A maior incidência de queimaduras é em acidentes de moto, causando escoriações e que de certa forma são consideradas queimaduras. É realizada assepsia, punção venosa para infusão de solução fisiológica 0,9% e administração da analgesia para dor, após esse procedimento é efetivada a limpeza da área afetada com solução fisiológica 0,9%, aplicação de compressas úmidas, ataduras quando necessário, e não é utilizado nenhum produto como pomadas e gel.

Prevenção no atendimento

É necessário prevenir as lesões adicionais afastando a vítima da fonte de calor e protegendo ao máximo a região afetada de uma infecção, não utilizando qualquer produto contaminado como açúcar, café, clara de ovo, água sanitária ou pasta de dente [...]. As roupas devem ser removidas, desde que não estejam aderidas à pele. Em seguida, o resfriamento da área queimada deve ser providenciado com água corrente fria da torneira ou ducha. A água fria promove a limpeza da ferida, remove agentes nocivos e interrompe a progressão do calor limitando o aprofundamento da lesão. Quanto mais rapidamente a água fria for aplicada, maior a chance de aliviar a dor e reduzir o edema. Portanto, o resfriamento com água corrente deve ser promovido o mais precoce possível, deixando 10 a 20 minutos no máximo, devido ao risco de hipotermia

O uso do soro fisiológico

O uso do soro fisiológico é recomendado para evitar a contaminação da ferida, mas, na sua ausência, pode-se usar água limpa. Já nas queimaduras extensas, o uso de curativos úmidos frios pode levar à hipotermia porque a pele queimada perde a capacidade de auxiliar na regulação da temperatura corporal e a vítima fica suscetível à perda de calor; quando usados não devem cobrir mais do que 10% da superfície corporal. Quando houver hemorragia associada, usam-se curativos compressivos habituais. Não se deve remover roupas firmemente aderidas nem se romper bolhas. Os curativos devem ser espessos e firmes

O atendimento pré-hospitalar é importantíssimo para o socorro de vítimas, independente do motivo. Ter conhecimento para excutar manobras em situações extremas é obrigação de qualquer profissional da saúde.

Tenha segurança no atendimento pré-hospitalar com o curso Atendimento Pré Hospitalar de Excelência. O conteúdo é excelente, há vários bônus e os recursos para o estudo facilitam demais a jornada de quem quer aprender de verdade. Clique aqui e saiba mais!

Não esqueça

O método mais eficaz e adequado de interrupção da queimadura é a irrigação com grandes volumes de água a temperatura ambiente. O uso de água fria ou gelo é contraindicado.



Dicas para profissionais
  • Drives Virtuais de Enfermagem
  • Apostila de Provas de Concurso para Enfermagem (Enfermeiro)
  • Curso Atendimento Pré Hospitalar de Excelência

  • Comente:

    Nenhum comentário