Atuação da Enfermagem em Exames Laboratoriais






Uma das áreas em que os enfermeiros podem atuar é na coleta de exames em pacientes internados ou em laboratórios de análises clínicas. Aqui, o papel desse profissional inclui a identificação correta dos pacientes, verificar exames solicitados e acompanhar técnicos de enfermagem na coleta de amostras biológicas. Em todas as etapas é imprescindível que os enfermeiros tomem medidas para garantir a segurança do paciente.


Fases compõem o fluxo de exames laboratoriais

Para que todo o processo seja realizado com segurança ao paciente e eficiência comprovada, é preciso atentar a todos os fatores que podem interferir nas etapas dos exames laboratoriais. Nesse sentido, o enfermeiro é um profissional crucial para supervisionar e detectar pontos passíveis de erros.

Para tanto, é imprescindível diferenciar as características de cada etapa. Acompanhe conosco.

Fase pré-analítica

Trata-se do processo relacionado:

à identificação correta do paciente e dos exames que serão realizados;
à confirmação da amostra que deveria ter sido coletada;
à verificação de sua condição de viabilidade, entre outras questões.

Também é importante investigar o preparo do paciente conforme as instruções prévias (se o exame assim exigir), tais como: jejum de mais de oito horas, descarte da primeira urina do dia, suspensão do uso de medicamentos nas 24 horas anteriores etc.

Após o check-list que varia conforme o tipo de exame a ser realizado, é importante esclarecer ao paciente tudo sobre o que vai acontecer a partir desse momento. Isso vale tanto para algo simples, como uma coleta de swab oral, quanto para procedimentos mais complexos — como uma punção venosa.

Outras informações relevantes são os fatores que podem comprometer o resultado, como:

ausência do jejum solicitado;
tabagismo;
atividade física;
uso de medicamentos;
horário da coleta.

Fase analítica

Corresponde à etapa de realização do exame propriamente dito, que inclui o preparo dos reagentes e materiais a serem utilizados, a ordem cronológica da retirada de fluidos corporais e o acondicionamento intermediário até o encaminhamento ao laboratório para análise.

Nesse sentido, é dever da equipe de enfermagem estabelecer uma programação para a coleta de sangue, secreções e demais amostras. Isso vai evitar desconfortos ou incômodos ao paciente durante o dia e repetições do exame devido a coletas inadequadas, entre outros problemas.

Mais um ponto fundamental é conferir se os exames foram realizados conforme a solicitação médica. Assim, é possível evitar problemas de interpretação posteriores, reclamações dos pacientes e do profissional solicitante ou situações que possam diminuir a percepção da qualidade do serviço.

Fase pós-analítica

Esta é a finalização do processo — que começou desde a avaliação prévia do paciente para a realização do procedimento e a conferência dos itens para executar essa ação, chegando até a emissão de um laudo clínico.

Nesse caso, após a análise das amostras, serão elaborados laudos mediante os achados obtidos pelos equipamentos. Infelizmente, em algumas situações é possível que o exame seja inconclusivo por falta de amostra. Isso porque ela pode ser processada algumas vezes nas máquinas, o que demanda novas coletas.

Ao final da análise laboratorial, o profissional emitirá um laudo contendo todas as informações relacionadas à identificação do paciente, ao tipo de exame que a amostra foi submetida, ao equipamento usado para essa questão e à conclusão do documento.

Vale lembrar que esse documento deve ser datado, assinado e carimbado pelo profissional responsável, podendo ser aceita a versão eletrônica. Também há a possibilidade de disponibilizá-lo online ou encaminhado ao profissional solicitante.

O enfermeiro é um profissional que está presente em todas as fases da vida, e dentro do serviço de saúde ele é o único profissional que tem respaldo de exercer todas as funções de enfermagem, sendo cabidas a ele algumas atribuições privativas, ou seja, aquelas que o técnico não pode executar. Com relação a exames laboratoriais, o enfermeiro é respaldado a fazer todas as ações, então, ele prepara, orienta e coleta alguns exames. Nesse caso, vai depender do tipo de exame, pois existem os que só podem ser coletados pelo bioquímico ou pelo médico, mas os que são respaldados ao enfermeiro ele pode coletar.

Para interpretar um exame,  o enfermeiro precisa saber, principalmente, fisiologia, farmacologia e patologia. Esses são os pilares que sustentam esse tipo de interpretação. A formação de nível superior deveria preparar o profissional para tal, no entanto devido à mercantilização da educação há um déficit expressivo. Algumas pós-graduações são marcadas fortemente pelos exames laboratoriais – obstetrícia, cardiologia, terapia intensiva, entre outras. Nessas especializações é imprescindível o aprofundamento nesses dados, porém todo enfermeiro deveria ter esta habilidade.

A interpretação de exames laboratoriais é uma das atividades mais importantes na rotina de um laboratório. Além de confirmar diagnósticos, o exame laboratorial é o principal recurso para analisar hipóteses, assim sua leitura e interpretação correta permite a definição do transtorno, distúrbio ou doença do paciente, possibilitando um tratamento adequado. O profissional responsável deve estar bem preparado para não apenas ler os resultados, mas também identificar possíveis pré-disposições, facilitando a prevenção de futuras condições. O curso de Interpretação de Exames Laboratoriais discute sobre a coleta, o controle de qualidade para cada tipo de teste, entre outros temas essenciais à área. Saiba mais



Eu sou a Dani, a atendente do Quero Conteúdo. Se você quiser ter conteúdo sobre esse tema para estudo, entre em contato pelo Whatsapp ou email do site . Conheça também nossa página de materiais educativos gratuitos .

Dicas para profissionais
  • Drives Virtuais de Enfermagem
  • Apostila de Provas de Concurso para Enfermagem (Enfermeiro)
  • Curso Atendimento Pré Hospitalar de Excelência

  • Comente:

    Nenhum comentário